Retorna

 Ir para pipistop.com.br


 

http://www.uroped.com.br

Clínica Dr. LIONEL LEITZKE
e-mail: lionel@uroped.com.br
Rua Mostardeiro 157 - conj. 406

 

http://www.uroped.com.br

90.430-001 - Porto Alegre - RS - BRASIL
fone: (0xx51) 3222-4227 - fax : (0xx51) 3346-2907


O artigo abaixo é de autoria do Dr. Lionel Leitzke (CREMERS - 11.331), Cirurgião Pediátrico Geral, Urologista Pediátrico e Coordenador do Centro de Referência para Distúrbios das Eliminações do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas de Porto Alegre - RS. 


 

Doutor, meu filho faz "xixi" na cama.

O que eu devo fazer ?

      

Esta pergunta tão freqüente nos consultórios de Pediatria, Nefrologia Pediátrica, Cirurgia Pediátrica ou Urologia Pediátrica pode ser respondida de diferentes modos, dependendo de uma série de fatores. Quero aproveitar para esclarecer alguns pontos básicos sobre a criança que faz "xixi" na cama.

1 - Até que idade é normal uma criança "molhar a cama" ?
2 - E quais outros sintomas a criança que esta criança pode ter ?
3 - Por que meu filho ou minha filha ainda urina na cama após os 5 anos de idade ?
4 - Se não for realizado tratamento, existe a cura expontânea da Enurese ?
5 - Por que a Enurese deve ser tratada ?
6 - Qual é o tratamento ideal da Enurese Noturna Primária Monosintomática ?
7 - Há necessidade de algum exame para orientar o tratamento da Enurese Noturna Primária Monosintomática ?
8 - Existe alguma relação entre Enurese e Prisão de Ventre ?
9 - O que os pais não devem fazer ?
BIBLIOGRAFIA

 1 - Até que idade é normal uma criança "molhar a cama"?    (volta)

Existem diferentes conceitos sobre até que ponto pode ser considerado "normal" uma criança não ter controle noturno sobre o ato de urinar. A maioria dos estudiosos concorda que é aceitável que uma criança de até 5 anos sem querer molhe a cama no máximo 1 vez por semana, desde que não tenha outros sintomas.

Estamos portanto compreendendo o primeiro conceito médico de doença na micção que é a

ENURESE NOTURNA PRIMÁRIA MONOSSINTOMÁTICA

e que pode ser definida como

"Ato involuntário de molhar a cama 2 ou mais vezes por semana,
em crianças saudáveis, após os 4 ou 5 anos de idade."

O nome é comprido porque tem 4 princípios importantes:

  • ENURESE = é a perda involuntária de urina.
  • NOTURNA = só durante a noite, porque se a criança também perde urina durante o dia ela pode ter uma doença mais séria.
  • PRIMÁRIA = porque a criança sempre teve enurese, isto é, nunca ficou mais de 6 meses sem urinar na cama.
  • MONOSINTOMÁTICA = é quando este é o único sintoma que a criança tem.

 

2 - E quais outros sintomas a criança que esta criança pode ter?    (volta)

  • Dores para urinar ( nos órgãos genitais ou na barriga )
  • Urgência para urinar = durante o dia quando "dá vontade" de urinar tem que sair correndo, porque senão urina na roupa.
  • Perdas de urina involuntárias durante o dia
  • Infecções urinárias - com febre, ardência ao urinar, presença de sangue ou pús na urina.

Se seu filho tiver um ou mais dos sintomas acima o problema pode ser mais complexo, e deve ser acompanhado por um médico especialista ( Nefrologia Pediátrica, Cirurgia Pediátrica ou Urologia Pediátrica ). Este solicitará vários exames complementares para fazer o diagnóstico exato da doença, e indicar o tratamento correto, efetivo para esta doença.

 

3 - Por que meu filho ou minha filha ainda urina na cama após os 5 anos de idade?   (volta)

Existem vários estudos médicos, e diversas teorias sobre o assunto. As mais aceitas são:

  • Predisposição genética -> A possibilidade dos filhos terem enurese aumenta 45 a 75 % se 1 ou os 2 pais (respectivamente) tiveram enurese. Provavelmente é relacionado a imaturidade neurológica dos mecanismos de acordar, aumento na produção de urina a noite ou retardo no desenvolvimento de uma maior capacidade da bexiga.

  • Produção de maior quantidade de urina durante o sono -> O normal é que as pessoas diminuam a produção de urina durante o sono, por ação de um hormônio chamado "Vasopressina". Nas crianças com Enurese Noturna a produção deste hormônio durante o sono não é suficiente, e portanto a criança produz mais urina, e termina perdendo urina involuntáriamente.

  • Fatores emocionais -> É muito discutível que seja o fator desencadeador, mas tem-se certeza que a Enurese influencia muito negativamente na personalidade da criança, causando nela um sentimento de vergonha, culpa, desprezo por sí mesmo. Portanto os distúrbios psicológicos, emocionais como a Perda de Auto-Estima são o resultado e não a causa da Enurese Noturna Primária Monosintomática.

 

4 - Se não for realizado tratamento, existe a cura expontânea da Enurese?   (volta)

Sim. Entre os 6 e 12 anos de idade, há um índice de resolução expontânea de 4 a 5 % ao ano. Após ao 12 anos de idade a possibilidade de resolução expontânea diminue para 2 % ao ano.

 

5 - Por que a Enurese deve ser tratada?   (volta)

Porque o tratamento beneficia não só o paciente, mas também seus familiares.

O controle noturno da micção significa para a criança que ela é competente, que tem controle sobre seu corpo, que pode dormir na casa de seus colegas de escola ou amigos, que pode participar de acampamentos, viajar. Significa que venceu esta etapa da vida, e rapidamente ela recupera sua auto-estima.

Para a família significa muito mais do que o fim do odor fétido de urina no colchão, nos lençóis, cobertores, roupas da criança, e de todo o trabalho para lava-las. É o fim do desconforto de ter que acordar no meio da noite fria, tentar acordar a criança, e brigar com ela para que urine dentro do vaso sanitário. É uma vitória, é uma etapa vencida na educação da criança, é a certeza de que seu filho ou sua filha não são doentes, somente demoraram um pouco mais para conseguirem o controle noturno da micção.

 

6 - Qual é o tratamento ideal da Enurese Noturna Primária Monosintomática?     (volta)

Somente o médico especialista, após saber de todo o histórico de seu filho ou filha, examina-lo(a), e as vezes solicitar alguns exames, poderá saber qual é o tratamento ideal para cada caso. As opções são:

  • RESTRIÇÃO HÍDRICA - é muito importante que a criança evite ingerir líquidos no mínimo 2 horas antes de deitar, até que tenha total controle sobre sua micção. A noite também deve-se evitar alimentos que estimulem a contração da bexiga, como produtos que contenham cafeína, chocolate, ...

  • URINAR AO DEITAR E AO LEVANTAR - é essencial que se crie o hábito de urinar logo antes de deitar e logo ao acordar. Algumas crianças acordam secas, mas como está frio ou estão com "preguiça" ficam deitadas, até que não "aguentam mais" e urinam.

  • RECOMPENSA PELAS NOITES SECAS - A motivação é importantíssima. Os pais devem valorizar cada dia de vitória, com elogios, carinhos, demonstrando sua alegria, seu contentamento, participando ativamente do tratamento. Pode ser utilizado um calendário no qual se colem adesivos, estrelas douradas em cada dia que a criança acorda seca, e pode se premiar com um presente a cada 5 ou 10 dias consecutivos secos ( o número de dias deve ser combinado previamente entre pais, médico e a criança).

  • TREINAMENTO DA MICÇÃO - orientado pelo médico, a criança aprende a controlar voluntariamente sua micção durante o dia.

  • ALARMES - é a terapia de condicionamento. Durante a noite a criança usa um sensor próximo ao pênis ou à vulva, que é sensível às primeiras gotas de urina, e dispara um alarme sonoro fixo no pijama, próximo do ombro, para acorda-la. Ela levanta, vai ao banheiro e urina. Após um período de 2 a 6 meses, criou-se um condicionamento pelo qual a criança não precisa mais do sensor para saber que ao sentir a bexiga distendida, cheia, é hora de urinar. É o tratamento de escolha do Prof. Rama Jayanthi, pelo alto nível de sucesso, e ausência de efeitos colaterais.

  • DESMOPRESSINA - é um medicamento que diminui a produção noturna de urina. É muito útil principalmente quando as crianças vão dormir na casa dos amigos, ou durante acampamentos e viagens. Em menos de 5 % dos pacientes podem ocorrer efeitos colaterais, como náuseas e dores abdominais. E em raros casos, se a criança não reduzir a ingestão de líquidos antes de dormir, pode ocorrer hiponatremia.

  • IMIPRAMINA - é um medicamento de efeitos discutíveis. Parece inibir o reflexo da micção, ou tornar o sono mais "leve", o que auxiliaria a criança a acordar quando a bexiga estiver cheia. Pode causar efeitos colaterais graves, e o uso em dose alta pode causar intoxicação letal. Deve ser realizada avaliação cardiológica antes de utiliza-la.

  • OXIBUTININA - este medicamento visa parar com as "contrações involuntárias, não inibidas" da bexiga, e relaxa-la, aumentando a sua capacidade. Deste modo a criança consegue armazenar uma maior quantidade de urina, e diminue o risco da perda involuntária durante a noite. Pode causar rubor facial, febre, tonturas e prisão de ventre.

  • ACOMPANHAMENTO PSICOLÓGICO - é importante para auxiliar a criança a não se sentir culpada por urinar na cama, e recuperar sua auto-estima, acreditando na sua capacidade de solucionar este problema.

 

7 - Há necessidade de algum exame para orientar o tratamento da Enurese Noturna Primária Monosintomática?    (volta)

Na maioria das crianças o médico se baseia no histórico do paciente, no exame físico, e solicita um exame de urina para confirmar que não tem infecção urinária. Em casos selecionados há necessidade de :

  • Ecografia abdominal - para afastar malformações dos rins, ureteres, e avaliar a capacidade máxima da bexiga, e se a criança consegue esvaziar completamente a bexiga no final da micção.
  • Urodinâmica - é um estudo feito para avaliar a função da bexiga e da uretra,. Delicadas sondas são introduzidas na bexiga e ampola retal, medindo as pressões vesical, uretral e abdominal com a bexiga cheia e durante a micção. Estas informações são transmitidas ao computador, que analisa os dados e orienta o uso de medicamentos.
  • Avaliação neurológica - para confirmar que não há malformações neurológicas.

 

8 - Existe alguma relação entre Enurese e Prisão de Ventre?   (volta)

Sim. Muitos estudos científicos comprovam que o tratamento da Constipação ( Prisão de Ventre) melhora as possibilidade de sucesso do tratamento da Enurese. Atualmente estas duas doenças vem sendo estudadas em conjunto sob o título de "Disfunções de Eliminação"

 

9 - O que os pais não devem fazer?    (volta)

Esta é a resposta mais importante. Lembre-se que a criança urina na cama involuntariamente, não porque queira.
Leia com atenção, e reflita sobre você, sua conduta, e não aproveite para culpar seu esposo ou esposa. Deixe que ele ou ela também leiam o texto, reflitam, e depois com muito amor, calma, sem se preocupar com o passado, decidam em conjunto o que fazer !

É ERRADO:

  • Culpar a criança pelo que está acontecendo, bater nela, punir, xingar, ficar bravo.
  • Obrigar a criança a lavar sua roupa, e/ou sua roupa de cama molhada.
  • Humilha-la, contar para outras crianças que ela faz "xixi na cama", torna-la motivo de brincadeiras, "gozação".
  • Deixar de leva-la ao médico e de seguir fielmente as orientações do mesmo.
  • Abandonar ou mudar o tratamento médico.Utilizar algum medicamento que foi receitado para outro criança.

 

BIBLIOGRAFIA   (volta)

  • Jayanthi, Rama - Professor de Urologia Pediátrica da Universidade de Columbus, Ohio - Palestra proferida durante o XXI Congresso Brasileiro de Cirurgia Pediátrica e IV Congresso Brasileiro de Urologia Pediátrica, em outubro de 2.000
  • Hensle, Terry W. - do Hospital da Criança do Centro Médico Presbiteriano de Nova Iorque - Columbia - USA - publicado na home-page "Urology", sob o título - "Nocturnal Enuresis"
  • Hay Jr., William W. - Professor de Pediatria da Universidade de Colorado - no livro "Current Pediatric Diagnosis & Treatment"- 13ª edição - páginas 195 e 196 - 1999
  • O,Donnel, Barry - Professor de Cirurgia Pediátrica de Dublin - no livro "Pediatric Urology"- páginas 220 a 223 - em 1997

 

Retorna

Ir para pipistop.com.br